Brazão Pronto

Manifesto

Por Diretoria

A Escola Teológica Charles Spurgeon nasce da conjugação de forças de pessoas modestas, que amam ao Senhor da Igreja e sentem-se desafiadas a dar sua contribuição para que algumas coisas muito cruciais sejam reparadas, marcos que estão sendo perdidos e, por conseqüência, desnorteando o povo de Deus. Esses marcos, são balizas sem as quais a Igreja nem sequer pode ser Igreja. A Igreja de Cristo está sendo golpeada na própria face, naquilo que a identifica como Eclésia de Cristo: A redefinição de sua própria identidade.

O povo do Senhor, num processo autofágico, tem dado àqueles que estão lhe destruindo a arma mais poderosa para fazê-lo: Seu próprio púlpito (coloca em seus púlpitos pregadores sem teologia e sem compromisso com o cristianismo bíblico e histórico). Alguns, homens sinceros, contudo sem uma preparação teológica adequada.

Assim caminha o povo de Deus nestes dias, se reinventando a cada dia, colocando-se à mercê de tendências que emergem dum cipoal de marketing utilizando leis de mercado para fazer a Igreja crível, relevante, sem arestas para que o mundo possa dela se aproximar não mais como réu ofensor precisando do perdão de Deus, mas como cliente em busca de sentido existencial para hoje, aqui e agora. A igreja Evangélica em nosso país está sendo conduzida triunfalmente para a glória que as estatísticas do IBGE lhe conferem.

Os Seminários de Teologia estão fabricando diplomas (e o MEC carimbando) e colocando-os nas mãos de centenas de nossos jovens, que( ingenuamente em alguns casos, criminosamente em outros), elevados a posição de pastores levam para a mesa das ovelhas de Cristo aquilo que aprenderam como verdade nessas escolas que sustentam em seus quadros docentes, professores sem nenhum compromisso com "a fé que de uma vez por todas foi entregue aos santos".

"Os homens falíveis não são nada, a menos que aprendam a depender de Deus"- Assim confessamos nossa inaptidão para a tarefa que está diante de nós, mas não podemos deixar de ao menos tentar. A Escola Charles Spurgeon não se propõe nascer para se impor como grande, importante ou indispensável. Deus decidirá isso. Pelo contrário ela surge sobre joelhos trêmulos, temerosos de presunção.

Alguém disse sobre os reformadores ingleses: "Foi para estabelecer uma verdadeira comunidade de cristãos que os puritanos vieram para este continente (América). Em alguma altura da travessia do oceano, a bordo do Arbella, John Winthrop expressou esta visão: "O Deus de Israel está conosco... devemos ser como uma cidade sobre uma montanha". A América não era, para os pais peregrinos, uma afirmação política, mas uma oportunidade de preservar em algum lugar da terra a sobrevivência do cristianismo em moldes que eles concebiam bíblico.

A Escola Charles Spurgeon é uma tentativa de cultivar a sobrevivência de um cristianismo que tenha história, teologia e piedade - o cristianismo bíblico. Nos juntamos a uns poucos Seminários que tão fielmente têm guardado a integridade do ensino bíblico, a eles rendemos nosso reconhecimento.

A Escola Teológica Charles Spurgeon tem um currículo com densidade bíblica, ênfase na compreensão plena do Evangelho e na vida piedosa, porque o seu compromisso é construir nos seus alunos: Competência teológica , retidão de caráter e vida devocional estruturada, tendo em vista a proclamação do grande Evangelho de Cristo e a prática de uma vida santa para a glória de Deus.

Postado em 14/09/2011